Punção da tireóide

02---Punc_a_o-da-Tireoide

A punção-biópsia guiada por ultrassom consiste na introdução de uma pequena agulha fina no interior da tireóide para retirada de células, que deverão ser analisados em outro serviço pelo especialista em Anatomia Patológica ou Citologia. Cerca de 10 a 20% das punções resultam em “material insuficiente” que pode ser resultado de excesso de sangue ou falta de células na lâminas – ambos decorrem de características próprias do nódulo, sendo muitas vezes necessário repetir a biópsia após 2 a 6 meses.

O procedimento é semelhante à punção de veia periférica para colheita de sangue, diferenciando-se somente pela orientação de sua penetração pela ultra-sonografia.

A equipe em ultra-sonografia é experiente, já tendo realizado centenas destes procedimentos.

RISCOS: O procedimento apresenta poucos riscos, podendo se observar sangramento auto-limitado (hematoma), que pode provocar dor local ou mancha arroxeada na pele. Pacientes portadores de problemas de coagulação, como hemofilia, púrpura trombocitopênica ou cirrose hepática com aumento do RNI ou em uso de medicamentos inibidores de coagulação (Marevan, Heparina, AAS, Aspirina ou Ácido Acetil Salicílico ou ainda anti-inflamatórios não esteróides) devem nos avisar previamente sobre esta condição. Também podem ocorrer mais raramente, hematomas peri-carotideanos e punção de traquéia.
Durante a punção se necessário, será realizada anestesia local com xilocaína (sem adrenalina), produto utilizado por médicos e dentista. Caso saiba ser alérgico a mesma, o que é muito raro favor avisar a equipe com antecedência.
Pacientes com arritmia cardíaca e/ou bradicardia (freqüência cardíaca menor que 60 batimentos por minuto) ou em uso de beta-bloqueadores (propanolol, etc) ou amiodarona (Ancoron ou Atlansil) deverão relatar ao médico esta condição.

Preparo:

Jejum de 2 horas.

Trazer ultrassom recente.

Caso faça uso de medicamentos anticoagulantes (AAS, Marevam, Marcumar, Heparina, Elexane, Aspirina, Persatin), estes deverão ser suspenso no mínimo 7 dias antes e 7 dias após o exame pelo médico que os prescreveu.

Chegar com antecedência mínima de 10 minutos.